Igreja de
Sao Joao Batista

Rua São João, 1363
Lagoa Seca, Natal/RN.

Igreja de
Santo Antonio

Av. Sen. Salgado Filho
Lagoa Nova, Natal/RN.

Igreja do
Cristo Redentor

Rua da Aurora, 62
Lagoa Nova, Natal/RN.

Igreja de
N. Sra. do Monte Libano

R Dr. José Borges, 1483
Lagoa Nova, Natal/RN.

PROGRAMA   MANHÃ COM DEUS   TODOS  OS  DOMINGOS  NA  RÁDIO  87,9FM.

Tenha um domingo diferente! Sintonize seu Rádio no Canal 87,9FM e participe do Programa "Manhã com Deus", tocando o seu coração!

HORÁRIO: 10h às 12h30      |       RÁDIO: 87,9FM NATAL       |       TEL.: (84) 3605-6029 / 2010-8700       |       LOCUTOR: Jailson Santos

 

Artigos em Destaque

2ª-feira, 03 de Abril, 5ª Semana da Quaresma

Primeira Leitura: Dn 13,1-9.15-17.19-30.33-62

1 Habitava um homem em Babilônia de nome Joaquim. 2 Casou-se ele com uma mulher chamada Susana, filha de Helcias, muito formosa e temente a Deus. 3 É que seus pais, como eram justos, tinham instruído a sua filha segundo a lei de Moisés. 4 Joaquim era muito rico e possuía um parque junto de sua casa. Os judeus iam visitá-lo, pois era o mais nobre de todos. 5 Ora, naquele ano tinham sido designados juízes dois anciãos dentre o povo, daqueles de quem o Senhor falou, quando disse: “A iniquidade saiu de Babilônia por meio de anciãos, de juízes, que se apresentavam como guias dos povos”.

6 Frequentavam estes a casa de Joaquim e iam ter com eles todos que os tinham causas para julgar. 7 Ao meio-dia, retirado o povo, Susana entrava e passeava no parque de seu marido. 8 E estes velhos, vendo-a diariamente entrar e passear, apaixonaram-se por ela. 9 Eles ficaram pervertidos e baixaram os seus olhos para não verem o Céu, nem se lembrarem dos justos juízos. 15 Enquanto aguardavam um dia próprio, entrou ela, como de costume, acompanhada somente de duas donzelas para tomar banho no parque, porque fazia calor. 16 Não se encontrava então ali ninguém, senão os dois anciãos escondidos para vê-la. 17 Disse ela às donzelas: “Trazei-me o perfume e o unguento e fechai as portas do jardim para que tome o meu banho” 19 Logo que as donzelas saíram, levantaram- se os dois anciãos, lançaram-se sobre ela 20 e disseram: “Eis que as portas do jardim estão fechadas e ninguém nos vê; estamos apaixonados por ti; rende-te, pois, ao nosso desejo. Entrega-te a nós; 21 senão levantaremos testemunho contra ti, declarando que estava contigo um jovem, e que foi por isso que despediste as donzelas”. 22 Susana disse suspirando: “Estou em apuros; porque, se eu fizer o que desejais, é a morte para mim; e, se o não fizer, não escaparei das vossas mãos. 23 No entanto, melhor é para mim cair entre as vossas mãos sem ter cometido mal algum do que pecar na presença do Senhor”. 24 Susana começou a gritar com voz forte; mas os anciãos gritaram também contra ela, 25 e um deles correu para abrir a porta do jardim. 26 Ao ouvir a gritaria no parque, a gente da casa acorreu pelas portas laterais para ver o que era. 27 Mas, logo que os anciãos fizeram sua declaração, os criados ficaram envergonhados porque nunca tal coisa se tinha dito de Susana. 28 Quando no dia seguinte o povo se reuniu na casa de Joaquim, seu marido, vieram também os dois anciãos cheios de sinistras intenções contra Susana, para condená-la à morte. 29 Disseram diante do povo: “Mandai buscar Susana, filha de Helcias, esposa de Joaquim”. E logo a mandaram buscar. 30 Ela veio: acompanhada de seus pais, filhos e todos os seus parentes. 33 Entretanto, choravam os seus, e todos os que a contemplavam. 34 Levantaram-se então os dois anciãos no meio do povo e puseram as mãos sobre a cabeça dela. 35 Ela, entre lágrimas, levantou os olhos ao céu, porque seu coração estava cheio de confiança no Senhor. 36 Os anciãos fizeram seu depoimento: “Quando passeávamos a sós no parque, entrou Susana com duas donzelas; fechou as portas do parque e despediu as donzelas. 37 Então, um jovem, que estava escondido, indo ao seu encontro, pecou com ela. 38 E nós, que estávamos a um canto do parque, vendo a infâmia, corremos para eles. 39 Nós os vimos unir-se; ele, porém, não o pudemos segurar, porque era mais forte do que nós, e, abrindo a porta, evadiu-se. 40 Mas a esta conseguimos apanhar; e perguntando-lhe que jovem era aquele, ela não no-lo quis dizer. Este, o nosso depoimento”. 41 A assembleia deu-lhes crédito, tratando-se de anciãos e juízes do povo; e condenaram Susana à morte. 42 Susana, porém, exclamou em alta voz e disse: “Deus eterno, que conheceis os segredos, que vedes as coisas antes que elas aconteçam, 43 tu sabes que eles levantaram contra mim um falso testemunho; e eis que morro sem ter feito nada do que eles criminosamente inventaram contra mim!”. 44 E o Senhor ouviu lhe a oração.45 Quando a conduziam à execução, o Senhor suscitou o espírito santo dum jovem, chamado Daniel, 46 que exclamou em alta voz: “Eu estou inocente do sangue desta!”. 47 E todo o povo, voltando-se para ele, indagou: “Que é que acabas de dizer?”. 48 Ele, pondo-se no meio deles, disse: “Sois vós tão insensatos, filhos de Israel? Sem inquérito, sem conhecimento de causa, condenais uma filha de Israel? 49 Retornai ao tribunal, porque esses homens disseram um falso testemunho contra ela!” 50 Voltou-se, pois, o povo apressadamente. Os juízes disseram-lhe: “Vem, assenta-te entre nós e informa-nos, visto que Deus te concedeu a sabedoria de um ancião”. 51 Daniel lhes disse: “Separai-os longe um do outro, que eu os julgarei!”. 52 Tendo-os separado um do outro, chamou Daniel o primeiro e disse-lhe: “Inveterado no mal, os pecados que cometias noutro tempo caíram agora sobre ti, 53 que pronunciavas juízos injustos, condenando os inocentes, absolvendo os culpados, apesar de o Senhor ter ordenado: ‘Não farás morrer o inocente e o justo’. 54 Pois bem, se tu a viste, dize: debaixo de que árvore os avistaste tendo relações sexuais um com o outro?”. Ele respondeu: “Debaixo duma aroeira”. 55 Daniel retorquiu: “Direitinho mentiste contra a tua própria cabeça; porque o anjo de Deus, por ordem de Deus, já te partirá pelo meio”. 56 Recolhido este, mandou vir o outro, e disse-lhe: “Raça de Canaã e não de Judá, a formosura te aturdiu, e a concupiscência transtornou-te o juízo. 57 Assim podíeis tratar as filhas de Israel, e elas, por medo, cediam às vossas manobras, mas uma filha de Judá não suportou a vossa iniquidade! 58 Dize-me, pois, agora: debaixo de que árvore os surpreendeste em comércio carnal?”. Ele respondeu: “Debaixo dum carvalho”. 59 Daniel retorquiu-lhe: “Direitinho mentiste contra a tua própria cabeça; porque o anjo de Deus já está esperando com a espada na mão, para te fender pelo meio, a fim de vos eliminar a ambos!”. 60 Então toda a assembleia levantou um grande alarido, bendisseram a Deus, que salva os que esperam nele. 61 E, investindo contra os dois anciãos que Daniel tinha convencido por sua própria boca de seu falso testemunho, fizeram-lhes sofrer o mesmo mal que intentaram contra o próximo. 62 Dando cumprimento à lei de Moisés, mataram-nos; e o sangue inocente ficou salvo naquele dia.


Salmo:  Sl 22, 1-3a. 3b-4. 5. 6 (R. 4a)

R. Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso, nenhum mal eu temerei, estais comigo.

1 O Senhor é o meu pastor: não me falta coisa alguma! 2 Em campinas verdejantes me coloca a repousar. 3a Me conduz às águas frescas3b e alma nova ele me dá! Faz que eu siga o bom caminho pela honra do seu nome. 4 Se atravesso o vale escuro, nada temo: estás comigo! Teu bordão e teu cajado, ao meu lado, me dão força.

5 Pões a mesa à minha frente, bem defronte do inimigo; de óleo unges-me a cabeça, e o meu cálice transborda.

6 Só felicidade e graça toda a vida hão de seguir-me; minha casa é a do Senhor pelo resto dos meus dias!


Evangelho:  Jo 8,1-11

Naquele tempo: 1 Jesus se retirou para o Monte das Oliveiras. 2 De manhã, bem cedo, voltou ao Templo. Todo o povo acorreu a ele; sentando-se, ele começou a ensinar. 3 Os escribas e os fariseus trouxeram uma mulher surpreendida em adultério, e a colocaram no meio de todos e disseram a Jesus: 4 “Mestre, esta mulher foi surpreendida em flagrante adultério. 5 Moisés, na Lei, manda apedrejar estas mulheres. Que dizes tu?”. 6 E assim lhe falavam com intenção de lhe armarem uma cilada para terem de que acusá-lo. Mas Jesus se inclinou, e começou a escrever no chão com o dedo. 7 Eles insistiam na pergunta. Então, ele se reergueu e disse: “Quem dentre vós estiver sem pecado, atire a primeira pedra”. 8 E, inclinando-se de novo, continuou a escrever na terra.

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Versículo do Dia

Informações


+ Rua São João, 1363, Lagoa Seca, Natal/RN.

+ Tel.: (84) 3615-2871

+ pascom@paroquiasaojoaonatal.org.br

+ Pároco: Pe. Marcelo C. Cruz

+ Secretaria: 08h às 11h | 13h30 às 17h30

Link's Úteis

Arquidiocese de Natal CNBB Vaticano
 Biblia Catolica Radios Net  Radio Sao Joao