paroquiasaojoaonatal,

  • Religioso (1580 - 1654)

    Os escravos negros que chegavam em enormes navios negreiros ao porto de Cartagena, na Colômbia, eram recepcionados e aliviados de suas dores e sofrimentos por um missionário que, além de alimento, vinho e tabaco, oferecia palavras de fé para aquecer seus corações e dar-lhes esperança. Para quem vivia com corrente nos pés e sob o açoite dos feitores, a esperança vinha de Nosso Senhor.

    Esse missionário era Pedro de Claver, nascido no povoado de Verdú, em Barcelona, na Espanha, em 26 de junho de 1580. Filho de um casal de simples camponeses muito cristãos, desde cedo revelou sua vocação. Estudou no Colégio dos Jesuítas e, em 1602, entrou para a Companhia de Jesus, para tornar-se um deles.

  • Bispo (980 - 1046)

    Gerardo Sagredo, filho de pais ilustres e piedosos, nasceu no ano 980, em Veneza, Itália. Sagrado sacerdote beneditino, foi como missionário para a Corte da Hungria, onde, depois de ser orientador espiritual e professor do rei Estêvão I, uniu-se ao monarca, também santo da Igreja, para converter seu povo ao cristianismo. Decisão que o santo monarca tomou ao retornar do Oriente, onde, em peregrinação, visitara os lugares santos da Palestina. O rei, então, pediu a Gerardo que o ajudasse na missão evangelizadora, porque percebera que Gerardo possuía os dotes e as virtudes necessárias para a missão, ao tê-lo como seu hóspede na Corte.

    Educado numa escola beneditina, Gerardo recebeu não só instrução científica, como também formação religiosa: entregou-se de corpo, alma e coração às ciências das leis de Deus e à salvação de almas. Aliás, só por isso aceitou a proposta do santo monarca. Retirando-se com alguns companheiros para um local de total solidão, buscou a inspiração entregando-se, exclusivamente, à pratica da oração, da penitência e dos exercícios espirituais. Mas assim que julgou terminado o retiro, e sentindo-se pronto, dedicou-se com total energia ao serviço apostólico junto ao povo húngaro.

  • Mártires (+século IV)

    Cosme e Damião eram irmãos e cristãos. Na verdade, não se sabe exatamente se eles eram gêmeos. Mas nasceram na Arábia e viveram na Ásia Menor, Oriente. Desde muito jovens, ambos manifestaram um enorme talento para a medicina. Estudaram e diplomaram-se na Síria, exercendo a profissão de médico com muita competência e dignidade. Inspirados pelo Espírito Santo, usavam a fé aliada aos conhecimentos científicos. Com isso, seus tratamentos e curas a doentes, muitas vezes à beira da morte, eram vistos como verdadeiros milagres.

    Deixavam pasmos os mais céticos dos pagãos, pois não cobravam absolutamente nada por isso. A riqueza que mais os atraía era fazer de sua arte médica também o seu apostolado para a conversão dos pagãos, o que, a cada dia, conseguiam mais e mais.

    Isso despertou a ira do imperador Diocleciano, implacável perseguidor do povo cristão. Na Ásia Menor, o governador deu ordens imediatas para que os dois médicos cristãos fossem presos, acusados de feitiçaria e de usarem meios diabólicos em suas curas.

  • Apóstolo e evangelista (+100)

    João - 'o discípulo que Jesus amava' e ao qual confiou sua mãe do alto da cruz - era galileu, filho de Zebedeu e irmão de são Tiago Maior. Pescador de profissão, oriundo de Betsaida, como os outros dos célebres pescadores, Pedro e André.

    É provável que, por sua qualificação de pescador, o Sinédrio - depois da Ascensão de nosso Senhor - o tenha considerado 'homem iletrado e sem posição social', mas quem lê o quarto evangelho dá-se conta da audácia do pensamento de João, que os cristãos chamavam 'o Teólogo' por autonomásia. Mais inclinado à contemplação que à ação, é o protótipo das almas consagradas.

    Está entre os íntimos de Jesus, mais próximo do Mestre nos momentos solenes, como na Última Ceia; está junto a Jesus moribundo na cruz e recolhe suas últimas palavras. À diferença dos outros apóstolos, João não era casado e manteve tal estado na sua longa existência consumida a serviço do Evangelho.

  • Bispo (século XVII)

    Rugero nasceu entre 1060 e 1070, na célebre e antiga cidade italiana de Cane. O seu nome, de origem normanda, sugere que seja essa a sua origem. Além dessas poucas referências imprecisas, nada mais se sabe sobre sua vida na infância e juventude. Mas ele era respeitado, pelos habitantes da cidade, como um homem trabalhador, bom, caridoso e muito penitente. Quando o bispo de Cane morreu, os fiéis quiseram que Rugero ficasse no seu lugar de pastor. E foi o que aconteceu: aos trinta anos de idade, ele foi consagrado bispo de Cane.

    No século II, essa cidade havia sido destruída pelo imperador Aníbal, quando expulsou o exército romano. Depois, ela retomou sua importância no período medieval, sendo até mesmo uma sede episcopal. No século XI, mais precisamente em 1083, por causa da rivalidade entre o conde de Cane e o duque de Puglia, localidade vizinha, a cidade ficou novamente em ruínas.

  • Primeira Leitura: Sb 6,1-11

    1 Ouvi, pois, ó reis, e compreendei! Instruí-vos, governantes dos confins da terra! 2Ouvi, dominadores das multidões, que vos ufanais da imensidão dos povos! 3O poder vos foi dado pelo Senhor e a soberania pelo Altíssimo: ele examinará vossa conduta e sondará vossos desígnios. 4 Pois, como ministros do seu Reino, não julgastes com justiça nem guardastes a Lei, nem andastes segundo o plano de Deus. 5 Ele cairá sobre vós, terrível e fulminante; um juízo severo se exerce sobre os potentes. 6Ao humilde se perdoa por compaixão, mas os grandes serão examinados com rigor. 7 Pois o Senhor do universo a ninguém teme, nem se deixa impressionar pela grandeza; pequenos e grandes, ele os fez, e de todos toma igual cuidado. 8 Um exame severo aguarda os poderosos. 9 A vós, soberanos, os meus discursos, para aprenderdes sabedoria e não cairdes; 10 pois os que guardam santamente as coisas santas serão santificados e se defenderá quem nelas se instrui. 11Tende sede de minhas palavras, buscai-as e sereis instruídos.

  • Irmãs e irmãos, a Paz de Cristo!
    A Campanha da Fraternidade deste ano, 2019, como já é sabido por todos (as), nos traz o Tema: Fraternidade e Políticas Públicas, e o lema: Serás libertado pelo direito e pela justiça (Is 1,27).

    O profeta Amós já falava da rejeição por parte de Deus aos cantos de louvor que o povo entoava. Louvavam a Deus, no entanto, não faziam justiça aos pobres e inocentes. Deus prefere "Ver brotar o direito como água e correr a justiça como torrente que não seca" ( Am 5,23-24); o profeta Isaías nos fala que o povo parece praticar a justiça, porém, mesmo quando jejuam só cuidam dos próprios interesses e exploram os trabalhadores (Is 58, 2-3);  Jeremias na sua vocação profética, proclama: "Pratiquem o direito e a justiça. Libertem o oprimido da mão do opressor; não tratem com violência, nem oprimam o imigrante, o órfão e a viúva (Jr 22, 3); a CF de 1996 nos trouxe o Tema: A Fraternidade e a Política. O belíssimo hino da campanha tinha como refrão o seu lema: Justiça e Paz se abraçarão! (Sl 85, 11).

  • A palavra grega καλει significa chamadas e se pronuncia “caléi”. Vem do verbo καλέω que significa chamar. Assim os primeiros romanos faziam sempre na lua nova: o soberano convocava (chamava) o povo para anunciar as festividades dali até a próxima lua nova. O fazia por dez luas. Os meses no calendário romano primitivo eram marcados por esse chamado e contabilizavam 10 durante um ano no nosso calendário atual. A própria palavra Calendário, tem origem em καλει+ário, significando a sequência (ário, um sufixo usado para adjetivar substantivos) de chamados (caléi). E por serem apenas 10, vai até dez+embro, ou seja, dezembro era o décimo mês desse calendário antigo (assim como nove+embro era o nono mês, oito+embro era o oitavo e sete+embro era o sétimo). O primeiros meses homenageiam divindades ou festividades (janeiro, por exemplo, era o mês da divindade Janus e fevereiro era o mês da festa de Februália, onde se realizavam sacrifício para purificação, em Roma).

    Mas voltemos para o καλει, o chamado que se fazia para anunciar em voz alta as novidades para o mês que se iniciava. Os cristãos reconhecem que Jesus é o Verbo de Deus, eterno e existente antes de todos os tempos. O nascimento de Jesus se tornou a encarnação do verbo. O verbo eterno, agora encarnado, tomou parte no tempo. O eterno entrou no tempo! E é preciso anunciar essa novidade em voz alta!

  • Queridos irmãos e irmãs, movidos pelo amor e impulsionados pela misericórdia de Deus, paramos para refletir a palavra que Deus nos dirige neste quinto domingo do tempo comum, em que o nosso único e suficiente salvador, Jesus Cristo, por meio de duas metáforas nos ensina a viver a vida e alicerçar a fé.

    Disse Jesus: "vós sois o sal da terra; vós sois a luz do mundo". Quais ensinamentos Jesus Cristo quis nos transmitir com as duas metáforas que utilizou?

    Logo após as bem-aventuranças, para fazer com os discípulos compreendessem e vivessem melhor o projeto de santidade que Ele apresentou, Jesus se utilizam então das duas metáforas.

    Ser sal da terra, tem dois significados para nós, cristãos. O primeiro é conservar. Nós utilizamos o sal para conservar. E o segundo é para dar sabor. Quando Jesus Cristo diz que o cristão deve ser sal da terra, Jesus está nos exortando para que conservemos o Reino de Deus, conservemos a fraternidade, conservemos a fé, conservemos o amor.

  • É com muita alegria que a Paróquia de São João Batista, recebe o novo Vigário Paroquial, Padre Hugo Galvão. Seja muito bem vindo!

    A partir de agora, entre nós, o senhor será membro de cada família, compartilhará conosco sofrimentos e alegrias.

    Junto ao Padre Marcelo, pároco, cuidará de nós como o Pastor que cuida e conhece cada ovelha de seu rebanho.

    Apresentar-se-á a Deus em nosso nome oferecendo-Lhe nossas preces e voltará a nós para comunicar-nos o perdão de Deus e a esperança. Que possa nos ensinar, perdoar, consolar e abençoar.

  • NOME: Carlos Antônio Lopes
    NATURALIDADE: Assu-RN
    NASCTO: 03/07/1963
    BATISMO: 10.07.1963 (Pe. Militino)
    CRISMA: 24.06.1978 (Dom Gentil Diniz)
    ORDENAÇÃO DIACONAL PERMANENTE: 08.06.2011 (Dom Matias Patrício de Macêdo).

    Sétimo filho do casal João Gregório Lopes e Maria do Carmo Lopes (in memoriam).

    Em 08.12.1991 celebra seu enlace matrimonial com Cynthia Teresa Amorim de Sousa Lopes na capela N.Sa. da Conceição em Assu-RN.

    É fruto desta união um casal de filhos: João Gregório Lopes Neto e Ana Carolina A. S. Lopes.

    Cursou o ensino fundamental no Instituto Pe. Ibiapina (Assu-RN), o ensino médio no Colégio Agrícola de Jundiaí (Macaiba) e o terceiro grau na ESAM(Agronomia) e UERN (Pedagogia). Atualmente exerce a profissão de Engenheiro Agrônomo no INCRA.

  • A Paróquia São João Batista, em Lagoa Seca, está em contagem regressiva para festejar o seu padroeiro. A programação deste ano terá como tema “São João Batista, visitado por Maria, exultou de alegria".

    A novena terá início na próxima quinta-feira, 15 de junho, quando a Igreja celebra solenemente o dia de Corpus Christi, às 19h30, na Igreja Matriz de São João Batista, presidida pelo pároco, Padre Marcelo Cezarino. A última noite de novena será na sexta-feira, 23 de junho, quando a Igreja celebra a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, com a Novena às 19h30, presidida pelo Padre Robério Camilo da Silva, pároco da Paróquia de Nsª Senhora de Lourdes, em Areia Preta.

    O dia do padroeiro, 24 de junho, teremos uma programação toda especial. Às 11h da manhã, Ofício de Nsa. Senhora; às 17h, procissão com a imagem do padroeiro pelas ruas do bairro até a Igreja Matriz, onde, às 18 horas, o Arcebispo Emérito, Dom Matias Patrício de Macedo, presidirá a Missa Solene de encerramento dos festejos de São João Batista.

  • A Comunidade do Cristo Redentor teve início na década de 1960. Os encontros aconteciam nas casas.

     Em 1968, Padre Pio chega a Natal e com recursos vindos da Holanda, compra a casa de número 15 na Travessa São José. Desenvolve ações nas áreas de saúde, educação, ensino profissionalizante e claro, atividades evangelizadoras, eucarísticas e de catequese. Com as atividades se intensificando, foi comprado, em 1973, um terreno na Rua da Aurora. Padre Pio liderou a comunidade até 1995.
    Em 26 de janeiro de 1996, padre Robério toma posse. Cria novas pastorais e movimentos leigos; restaura e amplia o prédio.
    Da ação destes dois padres, o Centro Social Cristo Redentor evolui, passando de uma entidade de cunho social para uma comunidade integrada à Paróquia São João Batista.

    No passar do tempo, a comunidade se uniu em torno de um mesmo objetivo: o de consolidar a obra destes dois padres, através de eventos como os exibidos a seguir.

    Padre Pio Padre Robério
       
    I Festa da Com. do Cristo Redentor
    - Julho de 1998 -
    Chá Beneficente
    - 21 de maio de 1999 -
    III Festa da Com. do Cristo Redentor
    - 21 de Setembro de 2000 -
         
    Visita do Arcebispo D. Heitor de Araújo Sales à Comunidade do Cristo Redentor.
    Ainda na foto, Padre Robério e a Coordenadora Maria Cícera Gomes de Lima
    - 24 de outubro de 1999 -
  • Nascimento: 09/11/1935 – Taipu-RN
    Ordenação: 23/09/1962 – Natal-RN

    Monsenhor Pedro Ferreira da Costa ou, singelamente, Padre Pedro, atua como Vigário Paroquial nesta paróquia. Aviador, maestro, futebolista, mecânico, filósofo, teólogo e, acima de tudo, pregador católico, Padre Pedro vem, como tão bem fizeram os primeiros "Padres da Igreja", intensamente reavivando a palavra, a memória e a presença do primeiro dentre todos os católicos deste mundo: Jesus Cristo.

Versículo do Dia

Informações


+ Rua São João, 1363, Lagoa Seca, Natal/RN.

+ Tel.: (84) 3615-2871

+ pascom@paroquiasaojoaonatal.org.br

+ Pároco: Pe. Marcelo C. Cruz

+ Secretaria: 08h às 11h | 13h30 às 17h30

Link's Úteis

Arquidiocese de Natal CNBB Vaticano
 Biblia Catolica Radios Net  Radio Sao Joao

 

!-- Piwik -->