4ª-feira, 11 de Outubro, 27ª Semana do Tempo Comum

Primeira Leitura: Jn 4,1-11

1 Mas isto desgostou profundamente a Jonas, que ficou irritado 2 e fez a Javé a seguinte oração: “Ah! Javé, não é isso o que eu dizia quando eu estava ainda na minha terra? É exatamente por isso que eu fugi, de início, para Társis; pois eu bem sabia que tu és um Deus de compaixão e de ternura, muito paciente, rico de graças e inclinado a arrepender-se dos males com que ameaças. 3 Agora, Javé toma a minha vida, eu te suplico! Porque mais vale para mim morrer do que viver!”. 4 Javé respondeu: “Tens porventura razão de te zangar?”. 5 Jonas saiu da cidade e foi se assentar ao oriente dela, fez lá uma cabana, instalou-se nela, na sombra, para ver o que iria acontecer à cidade. 6 Então Javé Deus fez crescer um pé de mamona por cima de Jonas para fazer sombra sobre a cabeça dele, livrando-o do desconforto. Jonas se alegrou com uma alegria imensa por causa do pé de mamona. 7 Mas no dia seguinte, ao raiar da aurora, Deus mandou aparecer um verme que picou o pé de mamona, e ele secou. 8 E quando o sol se levantou, Deus fez soprar do oriente um vento abrasador, e o sol começou a bater em cheio na cabeça de Jonas. Ele se sentiu mal e se pôs a pedir a morte, dizendo: “Mais vale para mim morrer do que viver”. 9 Deus disse a Jonas: “Tens porventura razão de te zangar por causa desse pé de mamona?”. Ele respondeu: “Sim! Tenho muita razão de me zangar até morrer de raiva!”. 10 Então Javé disse: “Tu morres de pena desse pé de mamona, que não te custou nenhum trabalho, e que nem foste tu que fizeste crescer, que cresceu numa noite e numa noite morreu: 11 e eu não teria pena de Nínive, a grande cidade, onde há mais de cento e vinte mil homens que não sabem distinguir a mão direita da esquerda, sem falar do grande número de animais?”.

3ª-feira, 10 de Outubro, 27ª Semana do Tempo Comum

Primeira Leitura: Jn 3,1-10

1 A palavra de Javé foi dirigida pela segunda vez a Jonas: 2 “Levanta-te, disse ele, vai a Nínive, a grande cidade, e transmite a ela a proclamação que eu vou te dizer”. 3 Jonas se levantou e foi a Nínive, segundo a palavra de Javé. Ora, Nínive era uma cidade divinamente grande: eram necessários três dias para atravessá-la. 4 Jonas entrou na cidade e andou um dia inteiro. A pregação dele era esta:“Ainda quarenta dias, e Nínive será destruída!”. 5 Os ninivitas creram em Deus. Eles proclamaram um jejum e se revestiram de sacos, desde as pessoas maiores até as mais pequeninas. 6 A notícia chegou até o rei de Nínive; ele se levantou de seu trono, tirou o manto, cobriu-se de saco, e sentou-se na cinza. 7 Em seguida se fez apregoar solenemente em Nínive, por decreto do rei e de seus ministros, esta proclamação: “Homens e animais, gado bovino e outros rebanhos, não tocarão em nenhum alimento, não pastarão, nem beberão água. 8 Homens e animais se cobrirão de saco, clamarão a Deus com toda a força, e se converterão cada um de seu mau procedimento e da violência de suas mãos. 9 Quem sabe se Deus não se disporá a reconsiderar e a compadecer-se, afastando-se do furor de sua cólera, para que não pereçamos?”. 10 Deus viu o que eles estavam fazendo para se afastar de seus maus caminhos. E Deus se arrependeu do mal com que os tinha ameaçado, e não o realizou.

2ª-feira, 09 de Outubro, 27ª Semana do Tempo Comum

Primeira Leitura: Jn 1,1-2,1.11

1 A palavra de Javé foi dirigida a Jonas, filho de Amitai: 2 “Levanta-te, disse Javé, vai a Nínive, a grande cidade, e proclama sobre ela que a maldade deles subiu até mim”. 3 Jonas se pôs a caminho para fugir rumo a Társis, para longe da presença de Javé. Descendo a Jope, ele achou um navio que partia para Társis, comprou passagem e embarcou para ir com eles a Társis, fugindo de Javé. 4 Mas Javé desencadeou sobre o mar um vento violento, e houve uma grande tempestade no mar, a ponto de o navio querer despedaçar-se. 5 Os marinheiros se amedrontaram, cada um deles se pôs a gritar por seu deus, e, para aliviar a embarcação, começaram a jogar a carga ao mar. Quanto a Jonas, ele tinha descido ao fundo do navio, tinha se deitado e dormia profundamente. 6 O chefe da equipagem se aproximou dele e lhe disse: “Por que estás aí a dormir? Levanta-te e grita pelo teu Deus! Pode ser que Deus se lembre de nós e que não pereçamos”. 7 Em seguida eles se disseram uns aos outros: “Vamos tirar a sorte para saber de quem nos vem este mal”. Eles tiraram a sorte, que recaiu sobre Jonas. 8 Eles lhe disseram então: “Dize-nos pois que negócio é o teu, de onde vens, qual é o teu país e a que povo tu pertences”. 9 Jonas respondeu a eles: “Eu sou hebreu, e adoro Javé, o Deus do céu que fez o mar e a terra”. 10 Os homens ficaram possuídos de grande temor e disseram a ele: “O que é que tu fizeste!”. De fato eles sabiam que Jonas fugia para longe de Javé, porque ele lhes tinha contado isso. 11 Eles disseram a Jonas: “Que faremos de ti, para que o mar se acalme para nós?”. De fato, o mar se agitava cada vez mais. 12 Ele lhes respondeu: “Pegai-me e jogai-me ao mar, e o mar se acalmará para vós. Porque eu sei que é por causa de mim que esta violenta tempestade vos ataca”. 13 Os homens se puseram a remar para chegar a terra, mas foi inútil, porque o mar se levantava cada vez mais contra eles. 14 Então eles imploraram a Javé e disseram: “Ah! Javé, nós te rogamos, não nos deixes perecer por causa da vida deste homem, e não faças cair sobre nós um sangue inocente, porque és tu, Javé, que ages segundo a tua vontade”. 15 Eles, então, pegaram Jonas e o atiraram ao mar, e o mar acalmou a sua fúria. 16 Os homens ficaram tomados de um grande temor de Javé. Eles ofereceram um sacrifício a Javé e fizeram votos em sua honra. 2,1 Javé determinou que um grande peixe engolisse Jonas. E Jonas ficou três dias e três noites no ventre do peixe. 11 Javé deu ordens ao peixe, e ele vomitou Jonas em terra.


Domingo, 08 de Outubro, 27ª Domingo Comum

Primeira Leitura: Is 5,1-7

1 Cantarei para o meu dileto o hino de meu amigo para a sua vinha. Tinha meu amigo uma vinha sobre uma fértil colina. 2 Amanhou a terra, desempedrou-a, e plantou cepas de alta qualidade. No meio ergueu uma torre e escavou um lagar. Ele esperava uvas doces, mas ela lhe deu uvas azedas.3 Agora, habitantes de Jerusalém, e vós, povo de Judá, sede juízes, vos suplico, entre mim e minha vinha. 4 Que poderia eu fazer pela vinha que não tenha feito? Eu esperava uvas doces, por que somente uvas azedas? 5 Pois bem! Mostrar-vos-ei o que farei de minha vinha: tirarei sua sebe e ela será pastada, derrubarei seu muro e ela será pisada. 6 Seja destruída, sem poda nem cultivo! Sobre ela: espinhos e sarças! Vedarei às nuvens de chover sobre ela. 7 Pois a vinha de Javé dos exércitos é a casa de Israel, e o povo de Judá é a planta de alta qualidade. Ele esperava equidade, e há sangue derramado; esperava o direito, e é o grito de pavor.


Sábado, 07 de Outubro, 26ª Semana do Tempo Comum

Nossa Senhora do Rosário. Memória

Primeira Leitura: At 1,12-14

Depois que Jesus foi elevado ao céu, os apóstolos 12 voltaram para Jerusalém, descendo da colina que se chama “Monte das Oliveiras”, que fica a uns 800 metros de Jerusalém. 13 Depois de terem entrado na cidade, subiram ao andar de cima da casa, onde costumavam ficar. Ali estavam Pedro, João, Tiago e André; Filipe e Tomé; Bartolomeu e Mateus; Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zelota, e Judas, filho de Tiago. 14 Todos eles rezavam constantemente na mais íntima união, com algumas mulheres, com Maria, a mãe de Jesus, e com os irmãos dele.

6ª-feira, 06 de Outubro, 26ª Semana do Tempo Comum

Primeira Leitura: Br 1,15-22

15 A justiça cabe ao Senhor, nosso Deus, mas o rubor cobre as nossas faces, como hoje sucede aos homens de Judá e aos habitantes de Jerusalém, 16 aos nossos reis e príncipes, aos nossos sacerdotes e profetas e aos nossos pais,17 pois temos pecado na presença do Senhor, 18 temos-lhe desobedecido e não temos dado ouvidos à voz do Senhor, nosso Deus, não querendo seguir os preceitos que nos propôs. 19 Desde o dia em que o Senhor tirou os nossos pais do Egito, até hoje, fomos indóceis ao Senhor, nosso Deus. Mostramo-nos negligentes em escutar sua voz. 20 Por isso, têm pegado em nós as desgraças e a maldição que o Senhor propôs ao seu servo Moisés, quando tirou os nossos pais do Egito, dando-nos um país que transborda leite e mel, como ainda hoje se dá. 21 Mas não temos prestado ouvidos à voz do Senhor, nosso Deus, segundo todas as palavras dos profetas que nos enviou: 22 Cada um de nós tem seguido as más inclinações do seu coração, servindo a deuses estranhos e praticando o que desagrada ao Senhor, nosso Deus.

Versículo do Dia

Informações


+ Rua São João, 1363, Lagoa Seca, Natal/RN.

+ Tel.: (84) 3615-2871

+ pascom@paroquiasaojoaonatal.org.br

+ Pároco: Pe. Marcelo C. Cruz

+ Secretaria: 08h às 11h | 13h30 às 17h30

Link's Úteis

Arquidiocese de Natal CNBB Vaticano
 Biblia Catolica Radios Net  Radio Sao Joao

 

!-- Piwik -->